Só não soltem minhas mãos, por favor

domingo, fevereiro 14, 2016

Imagem

Leia ao  som de I won't let you go
A imagem dela foi a primeira que vi ao acordar fora daquele lugar escuro. Seus olhos já me observavam com tanto amor que me apaixonei naquele momento, e sentir seu toque foi o maior presente de boas vindas a, como disse Shakespeare, esse mundo de loucos. E depois ele me segurou com todo aquele cuidado, como se eu fosse quebrar a qualquer instante com um movimento em falso. Minutos depois eu estava dentro de uma caixa transparente na qual eu dançava meus olhos procurando por onde escapar, ali estava eu, já seguindo a ordem dos astros e contrariando a normalidade em ter alta no dia seguinte da minha chegada. Eu os vi pelo espelho, e seus olhares eram preocupados, mas no fundo sabiam que logo eu sairia dali. Ela pensava: "filha de peixe, peixinho é" e então de fato eu logo estaria saltando dali. E enquanto eu os contemplava, percebi o incerto, mas já era tarde, porque eu já estava perdidamente apaixonada. 

Eu queria de fato ter lembranças claras daquela época, as imortalizariam numa caixa que deixaria passando por gerações, afinal, minha alma sempre me disse que uma das missões a mim endereçadas é o de passar legados, gerar heranças regadas de emoções e orgulho ao serem deixadas.

O tempo passou e minhas percepções apenas cresceram, o jeito quieto e observador já não era tão estranho, descobri então que fazia apenas parte dos ossos do oficio, e eles também souberam, mas volta e meia esquecem e ela me olha daquele jeito como se eu tivesse enlouquecido e ele se esconde pra achar qualquer coisa desse tipo. Numa ansiedade depravada eu peguei suas maiores qualidades, e nessa ânsia de ganhar o mundo, também seus defeitos. Tento me livrar de arrependimentos, mas às vezes isso me pega, e quando os olho só posso parar no meio do asfalto e observa-los atravessando desesperadamente a faixa incontáveis vezes.

São tempos de ganhos, perdas, e acima de tudo aprendizados. As nuvens que me cobrem têm me mostrado cada vez mais que sou aquilo que disse que seria em uns momentos de inocência. E os olho e digo que não, a menina de vocês continua aqui, um pouco mais sensível, rude sem querer ser nem um pouco, mas meus dedos ainda encontram-se entrelaçados no de vocês, como quando eu ocupava o meio em nossos passeios no shopping. Eu ainda sou aquela garotinha pai, que te agarrou o braço a primeira vez que entrou no mar, e a mesma mãe, que pediu para você ficar lá comigo ou só me tirar dali. E eu escrevo isso porque eu quero se exploda o mundo e suas limitações, eu sinto, emoções tão intensas que eu poderia gritar agora apenas que eu sinto... E eu sinto muito.

E eu os amo com todo amor do mundo.

You Might Also Like

3 Comentários

  1. Esse texto/carta ficou tão lindo, eu realmente fiquei emocionada lendo no whatsapp e agora chorei de novo. Esse é o amor mais puro.

    ResponderExcluir
  2. Que lindo texto! Um declaração de amor... me emocionei aqui e viajei pelas palavras.
    www.pilateandosonhos.com

    ResponderExcluir
  3. Alberto C.02 junho, 2016

    Estou entrando no Blog agora. Li o acima (só não soltem..) e fiquei muito bem impressionado. Vou dar 1 geral que, pelo início, deve valer a pena.

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita! ♥

Popular Posts

Like us on Facebook

Flickr Images

Subscribe