2014: De pior a melhor

sexta-feira, dezembro 19, 2014

Minha mãe diz que entrada de ano não muda em nada exatamente, apenas altera alguns números no calendário e reinicia a contagem dos meses. Mas eu discordo. Desde que olho um pouco mais atentamente para a vida, valorizo aquele dia 31 de Dezembro, e muito mais o dia 1 de Janeiro. Meu interior entende que um ciclo se fecha e outro inicia-se. Encaro trezentos e sessenta e cinco dias como um prazo. Uma contagem regressiva para todos os planos traçados em seu inicio e aqueles que surgem no meio do caminho. E posso dizer que fico extremamente feliz em saber que este esta para se encerrar. 2014 foi o ano de amor e ódio. E dizem por ai que quando se odeia tanto alguém é porque ali há amor, e usando este exemplo, acho que este ano foi talvez como um tipo de amor oculto pois passei metade do tempo odiando-o. 

Realizei um dos meus maiores sonhos de criança que foi entrar na faculdade (sim, criança precoce), e descobri que pode-se detestar algo ao mesmo momento em que adora. Aprendi que opiniões e gostos podem sim mudar, e que talvez eu continue sempre a ser cabeça dura apesar de saber que não adiantará bater continuamente na mesma tecla, pois mesmo lutando arduamente pela minha opinião, um dia ela pode mudar, e é inevitável e eu não preciso me culpar, mudanças são necessárias; situações surgem, obstáculos colocam-se no caminho, aprendizados acontecem e a mente muda. Como diz uma amiga minha: amadurece

2014 me arrancou da minha zona de conforto, me fez chorar e desacreditar do mundo, das pessoas e em algumas vezes até de mim mesma. Tantas pessoas passaram em minha vida que a contagem não cabe nos dedos, umas entraram e saíram na mesma velocidade em que entraram, assim, em velocidade luz, outras reapareceram e continuam, e umas tão rapidamente apareceram e ficaram. Um e outro me tirou a venda daquela minha visão infantil sobre o que alguns querem, e por mais óbvio que isso seja, me convenci e aceitei que não é porque eu quero algo que uma pessoa também tem que querer. Aprendi a ter cautela comigo mesma e acredito que isso tenha me proporcionado um pouco de paz, readotando a ideia de que pensamentos positivos atraem coisas positivas. A vida é uma escola, e com erros e acertos aprendemos e encontramos nosso caminho. Lágrimas são necessárias em momentos tristes e felizes, pois alivia, e amor próprio cria uma barreira que impede que deixemos de acreditar em nós mesmos. 

A espera é algo da qual me convenci ser necessária. Não é de agora que acredito nisso, em 2014 minha crença apenas completou seu "download" e escrevo com um suspiro de alivio ao saber que isso de fato é verdade, pois no final sempre valeu a pena. Levei quase o ano inteiro para riscar itens da lista de metas, e quando pensei em desistir, uma voz em minha cabeça pedia para que eu ignorasse os tombos, levantasse e insistisse. O ano está a doze dias de terminar e o chute inicial para começar bem 2015 já foi dado. E será com todos os aprendizados que iniciarei mais um ano de cabeça erguida, pronta para pular obstáculos e com um caderno em mãos para tomar nota de cada novo aprendizado. Com energia positiva, bons pensamentos e sorriso no rosto.  

~

Este texto partiu da ideia do projeto literário "16 on 16", confira os outros blogs do projeto: Lys, ArianaCamyli AlessandraMaíra VolpatoDaniela FilipiniGhiovana Maria FernandaLianne BezerraMari GuimarãesMariana ZanataNicolleGabi FreitasDeyse.

You Might Also Like

4 Comentários

  1. Eu fico muito feliz de ver esse progresso seu e mais feliz ainda de ter participado, mesmo que de longe de algumas coisas citadas nessas linhas.
    Repito: Estou orgulhosa por você ter se permitido, se jogado e assumido os riscos, é necessário sabe, não da pra não viver algo por medo.
    2014 pra ti foi aprendizado, amor, mel e fel, e você termina ele rindo de tudo, o que é melhor.
    Desejo que seus sorrisos só aumentem em 2015 e que a felicidade seja plena.

    Beijos ♥

    ResponderExcluir
  2. 2014 e seus sentimentos opostos! Entendo perfeitamente. Gostei de ler que você entrou para a faculdade e quanto às opiniões, realmente, hoje podemos aprovar x e amanhã, preferir y. Isso é normal. É o resultado de experiências adquiridas e pontos de vistas que nos foram apresentados. Sua amiga está certa: é sinal de amadurecimento.

    Seja bem-vinda ao projeto, Brunna!

    Agora v4i mandou beijócas!
    https://agorav4i.wordpress.com

    ResponderExcluir
  3. Realmente, o ano foi dividido nessa relação de amor e ódio pra mim também. haha. Mas só podemos chamar de erro aquilo que não nos ensina nada. Se amadurecemos, valeu a pena! E percebo que você amadureceu. Parabéns pela sinceridade do texto e que 2015, seu novo prazo, seja doce e bem aproveitado! :D

    http://comamorgc.com.br

    ResponderExcluir
  4. Bruna, parabéns pelo blog!
    Sobre o texto, eu concordo com vc. Temos que valorizar tudo que passamos e vivemos a cada ano, pois essa é uma forma de aprendizado que temos a oportunidade de ter a cada momento vivido.
    Todo final de ano, para mim, é momento de fazer uma balança do que foi positivo e negativo a fim de não cometer os mesmos erros no ano próximo.
    Abraços Mika,
    Pensamentos Viajantes

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita! ♥

Popular Posts

Like us on Facebook

Flickr Images

Subscribe