A você,

segunda-feira, janeiro 04, 2010

"Filho da noite,

Já passa da meia noite e eu me encontro aqui, sentada diante dessa escrivaninha, com a caneta prateada de assinar documentos na mão, com o olhar vago, que antes se encontrava vagando pela janela obscura, agora procurando razões lúcidas para escrever algo tão incisivo, algo tão neurótico, a ponto de que se alguém algum dia chegar a tocar nesta folha eu possa ser considerada uma pessoa fora do normal, com alguma coisa em falta na cabeça. Ou talvez, com algo a mais nela. E é isso que eu considero, é isso que está me movendo a deixar de lado uma longa noite de sono para passar definitivamente toda essa tortura mental e sentimental. É também até caloroso estar fazendo isso, pois após afogar minha cabeça no travesseiro afim de fechar os olhos e ter sonhos belos a imagem torna a tomar minha mente como se eu fosse capaz de suportar toda essa pressão imaginária. Dar um basta seria correto? E essa é apenas mais uma pergunta; a vamos lá, mais uma: É possível dar um basta?

Chega a apertar o peito, pois já fora tentado por mim tal atitude tranqüilizante, mas não, não consegui. Não consegui porque é falho, é diverso, na verdade, tanto faz a você filho da noite. A que está aqui sentada diante dessa escrivaninha surrada é apenas mais uma que deve vir a se enlouquecer após a espera de uma nova visita. E me pergunto; Por quê só em sonho? É tão difícil não parecer tão projeção da minha imaginação fértil juvenil? Ah, acabo de me lembrar; Você não responde minhas perguntas. E prevejo que nunca venha a responder qualquer uma delas.

Isso é tão monótono, tão repetitivo. Essa é apenas mais uma folha qualquer, contendo as mesmas palavras, talvez. Contendo pensamentos e objeções que você já conhece e deve estar cheio de ler. É, é isso. Isso ficará na janela, perto da solitária, que para minha surpresa parece estar sempre feliz quando volto pela manhã para checar se meus bilhetes repetitivos ainda se encontram intactos, e triste quando me deparo com um bilhete sem sinal de movimento.

Mas sei, quando eu voltar à biblioteca pela manhã, esse bilhete que finalizo não estará mais em companhia à solitária, e ela, a única rosa, estará novamente feliz.

             Você sabe. Eu não sei."

If I remember you, will you remember me?

You Might Also Like

8 Comentários

  1. Oi ti achei no blog de uma amiga minha , adorei seu cantinho e gostaria de segui-la, te convido para que venha conhecer meu blog , e me seguir tbem assim poderás ficar antenada com as minha vida meia maluca
    bjos da lowkita ;*

    ResponderExcluir
  2. ah vc escreve de forma que parece ser tão real ...e a estória tá ficando linda...eu espero que ela e o ele um dia se encontrem novamente quem sabe fiquem juntos a eternidade.

    ResponderExcluir
  3. Ah você escreve tão bem, e de uma forma que toca a alma *_*
    Ameeeeei;irei passar sempre por aqui :)


    beeijos.♥

    ResponderExcluir
  4. Que poético, gosto de pessoas que escrevem nessa linha.
    E espero de coração que continue escrevendo sobre esse fantasma, é muito inspirador realmente.

    Ps: Gostei do começo do texto, me vejo com o mesmo pensamento de um dia escrever algo que pessoas depois vão dizer que eu era louco, ou tinha algo a mais na cabeça.

    ResponderExcluir
  5. adorei seu blog! :D você escreve muito bem e está de parabéns! estou te seeguindo. Beijocas!

    ResponderExcluir
  6. Certos contos fazem parte de nosso cotidiano a gente nem se dá conta disso, né?

    Adorei aqui. Sublime. Palavras singelas e intensas aliadas a uma sensibilidade tocante. Parabéns.

    Estarei seguindo o seu blog ,ok?

    Se puder, entre para a nossa comunidade -, sim esta também é sua já que escreves. =)

    http://www.orkut.com.br/Main#Community?cmm=96229629

    Incontáveis abraços.

    ResponderExcluir
  7. Eu estou adorando esse conto *-* Porque não prolonga ele, com o tempo, a um romance, quem sabe?!
    De conto a romance seriam só mais algumas páginas de curiosidades, e... objeções :)

    Feliz ano novo pra você também! :*

    ResponderExcluir
  8. Gostei muito desse texto,confesso q inda não li o fantasma da meia-noite,mas lerei.Venho aqui também para retribuir os votos de fim de ano e desejar um belo 2010 pra ti,enfim,belo.
    abraço!

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita! ♥

Popular Posts

Like us on Facebook

Flickr Images

Subscribe